Roy Fergus Callahan

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Roy Fergus Callahan

Mensagem por Roy Fergus Callahan em Seg Dez 04, 2017 10:36 pm

Musician


Roy Fergus Callahan


Dougie Poynter / Artists / Sangue-Puro

Roy Fergus Calahan é o mais novo filho de uma família complicada. Vindos para a terra da liberdade da Irlanda, logo se tornaram comerciantes de sucesso. O bisavô de Roy ergueu uma enorme fortuna, praticamente do zero. Em sua frente ninguém tinha muita coragem de comentar, mas a verdade é que os rumores eram de que o motivo de seu sucesso estava nos terríveis infortúnios que ocorriam com os que ousavam concorrer com ele. O avô de Roy expandiu o império, sempre com o mesmo rosto amigo nas vendas e o mesmo punho de aço para qualquer um que entrasse em seu caminho. Já o pai, como dizia o próprio Roy, provavelmente era resultado da avó ter se confundido, jogado a criança fora e criado uma pedra de gelo. Tom Gilroy Calahan vivia e respirava os negócios da família, o que deixava pouco espaço para humor ou amenidades. Um Calahan sempre toma conta do outro era sua frase favorita e repetia sempre como um mantra em um tom monótono e determinado.
Quando pequeno, Roy viveu na luxuosa mansão da família, ansiado pelo dia em que poderia ir para Ilvermorny, onde acreditava que estaria longe do pai. Esse desejo fez com que descobrisse desde cedo seu talento quando tinha ainda sete anos. Sua irmã mais velha sempre voltava para casa com os livros de feitiços, mas sem a varinha, conforme era obrigatório na escola. Então, o garoto brincava de usar um graveto e tentar realizar algumas mágicas que via nos tomos da irmã. Para seu espanto, um dia conseguiu. Quando tentou mostrar para todos como tinha fabricado uma varinha, foi informado de que o que tinha em mãos era só um pedaço de pau e que, em verdade, possuía uma habilidade rara. Uma habilidade que seu pai lhe informou, orgulhoso, poderia ser muito útil para a família
Finalmente chegou seu dia de começar a aprender magia longe do pai, e Roy sentiu que nada poderia lhe deixar mais contente. Deixar a mansão e as conversas sobre os negócios de família de lado. Contudo, seu alívio por finalmente sair de perto dos hábitos estóicos do pai durou pouco. Todos os membros de sua família haviam sido selecionados para Horned Serpent. Fundada por uma maga irlandesa, os Calahan tinham o maior orgulho de continuar esse legado. Mas Roy conseguiu acabar em Thunderbird de alguma forma. Passou um tempo realmente longo com uma cara estúpida observando o animal batendo suas asas durante a cerimônia. Os dois irmãos  que ainda estavam na escola pareciam não ter problemas com encontrar novas formas de caçoar dele por esse fato. Seu pai, demonstrava achar aquilo muito baixo mesmo para ele, visto que não mencionava o assunto e apenas retorcia levemente o nariz de desgosto quando faziam qualquer menção àquela casa.
Os colegas não foram muito melhores. Salvo alguns que se aproximaram, a opinião era de que era perigoso, patético ou ambos. Devo interceder pelo nosso herói e dizer que sua impopularidade não foi culpa sua propriamente. Em verdade, ele muito se esforçou iniciando conversas com sorrisos sinceros. Mas se o seu sobrenome é Calahan e você está na Thunderbird, com frequência não há muito o que fazer. Ainda mais quando um grupo de pessoas populares decide que não foi muito com a sua cara.
Apesar dos poucos e bons amigos a situação na escola o deixava triste. E você também ficaria triste, imagino, com os comentários furtivos e brincadeiras pelas costas, mesmo que, como Roy, tivesse bons amigos. Isso mudou em uma visita à uma vila próxima à escola durante o terceiro ano. Como nenhuma dos seus amigos mais próximos pode ir com ele, teve de ir sozinho. Tratou de afastar-se do grupo principal o mais depressa que conseguiu; seus passos e ouvido o levaram a uma música que nunca antes tinha ouvido.
Só muito depois soube que se tratava de um saxofone . Só muito depois soube que tocava jazz. Amor à primeira melodia. Sem poder evitar entrou na casa, começou a conversar com o dono e dentro de semanas estava praticando. Tornou-se discípulo e amigo. Howard Jones, era um operário que morava naquela cidade e via na música uma forma de tornar a vida mais agradável. Foi com ele que Roy fez as aulas e dele que recebeu Cassandra - um Sax Tenor que até hoje é o objeto mais precioso que possui.
Os poucos amigos e especialmente o Jazz fizeram com que o restante da vida escolar se tornasse suportável. Praticava o instrumento horas a fio, muito mais do que feitiços e poções, de forma que não se incomodou muito com as notas medianas ao se graduar. Foi só então que percebeu o problema em que se encontrava. Não se sentia disposto ou capaz de fazer nada que não fosse música, mas sabia que seu pai não aprovaria esse caminho de forma nenhuma.
Talvez você já saiba a resposta para essa questão, mas ainda demorou algumas semanas, além de várias conversas com seus amigos e com os membros da banda para que Roy finalmente percebesse que o jeito era dar ao pai o que queria. Ou pelo menos, fazer o pai achar que tinha o que queria. Concordou em trabalhar com a família no papel de contrabandista, realizando algumas operações em Nova Orleans. Era muito natural, já que um bruxo avarador seria espetacular nessa tarefa. Na verdade, o rapaz se concentra quase que exclusivamente em sua arte, e pode ser encontrado praticando durante o dia e tocando durante a noite.


Como é visto: Um músico boêmio de riso fácil sempre metido com pessoas estranhas.

OFF: Kim

avatar
Musician
Ver perfil do usuário
Mensagens :
1

Idade :
20

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum